Dolororo








uma estrela

exRosato

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

A CANETA E A ENXADA

A CANETA E A ENXADA
A enxada e a caneta
São instrumentos de luta
Uma na mão do doutor
Que impera absoluta
A enxada é sem valor
Por ser o agricultor
Que esse instrumento executa
A caneta é a batuta
Que comanda a economia
Mas se não fosse a enxada
Ela não existiria
Caneta é evolução
A enxada a produção
Que a humanidade cria
Na soma do dia a dia
A caneta faz progresso
Desde o tempo de Adão
Que a enxada faz sucesso
A caneta é o talento
A enxada o sofrimento
Do sertanejo disperso
Nesse seu papel inverso
Ela é injustiçada
A caneta representa
Uma elite reservada
Caneta é condecorada
Mas se não fosse à enxada
Na terra não tinha nada
A caneta é reservada
A enxada é popular
Através do seu trabalho
A enxada pode dar
Ao povo sustentação
Ao mundo alimentação
Para a caneta brilhar
Eu não quero comparar
A enxada com a caneta
Mas se não fosse a enxada
Sei que a coisa estava preta
O povo estava como fome
Ninguém escrevia o nome
Em papel ou tabuleta
Vou dar valor à caneta
E engrandecer as enxadas
Todas duas são importantes
Nessas suas caminhadas
Caneta pra educação
Enxada pra produção
Não devem ser separadas
Se forem descriminadas
O mundo perde o valor
A caneta é necessária
Pra promover o Doutor
Cada uma é consagrada
Pois se não fosse à enxada
Não havia agricultor
Davi Calisto Neto












domingo, 28 de fevereiro de 2016

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

terça-feira, 22 de dezembro de 2015